fbpx

Prótese Peniana Maleável: para que serve, como funciona e vantagens

Próteses penianas, ou implantes penianos, são uma importante opção de tratamento para homens com disfunção erétil grave que têm uma causa médica estabelecida para disfunção erétil, não respondem a tratamentos não cirúrgicos (como medicamentos orais, dispositivos a vácuo, terapia com injeção etc.) e que são motivados a fazerem uma cirurgia para melhorar a função erétil. 

A prótese peniana maleável ou semirrígida requer a inserção cirúrgica de um par de hastes flexíveis dentro das câmaras de ereção do pênis. As hastes têm um revestimento externo de silicone e núcleo interno de aço inoxidável ou juntas plásticas, e ficam completamente escondidas dentro do corpo, produzindo uma rigidez peniana constante. 

 Os dispositivos maleáveis têm a vantagem de serem os mais simples dos implantes penianos e são as opções de menor custo. Fácil para o homem e sua parceira manusearem, o homem pode posicionar o pênis para a penetração durante a relação sexual e acomodá-lo ao término do ato. É uma boa opção para homens com destreza limitada – algo a considerar em casos de artrite ou dificuldade para usar as mãos, comum em algumas doenças neurológicas, com a doença de Parkinson e lesões na medula espinhal. Se um paciente tiver um orgasmo muito rapidamente, a ereção não será perdida e o paciente poderá mantê-lo até que sua parceira esteja satisfeita.

Prazer, sensibilidade, orgasmo e ejaculação não são prejudicados pela colocação da prótese peniana. Homens que são impotentes de causas vasculares continuam a ter um orgasmo e ejaculação com um pênis flácido. Portanto, restaurar as ereções com prótese nesse indivíduo resultará em um paciente que continua a ter ejaculação e orgasmo. Um paciente que sofre de disfunção erétil após prostatectomia radical ou radioterapia perde a capacidade de ter ereções e ejaculação. Portanto, um implante nesse cenário resultará em um paciente que tenha uma ereção e um orgasmo, mas sem ejaculação.

As taxas de satisfação com a prótese são tipicamente de 80% a 90% e a grande maioria dos homens dizem que escolheria a cirurgia novamente.

Os prós e contras de cada opção de tratamento devem ser cuidadosamente discutidos com um urologista para fazer a escolha mais bem informada e para garantir que o paciente tenha expectativas realistas sobre os resultados do tratamento.

Post anterior
Pressão alta pode causar impotência?
Próximo post
Quais medicamentos são usados para tratar a disfunção erétil? 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
WhatsApp WhatsApp