fbpx

Vasectomia não causa impotência

Uma das formas mais eficazes e confiáveis de controle de natalidade, a vasectomia é erroneamente associada à disfunção erétil. O procedimento não causa impotência, mas pode levar alguns homens a experimentar ansiedade e depressão. Em casos de dúvidas sobre a vasectomia ou os sentimentos que, por vezes, acompanham-na, o ideal é procurar um urologista.

Um mito

É improvável que a disfunção erétil (DE), ou a popularmente chamada impotência, seja causada pela vasectomia.

Explicando a vasectomia

A vasectomia é uma das formas mais confiáveis de controle de natalidade. Envolve cortar, amarrar ou cauterizar os vasos deferentes — que são os tubos que transportam espermatozoides dos testículos, onde as células espermáticas são produzidas, para a uretra, onde são expelidas do pênis durante a ejaculação.

Alguns homens temem ter problemas com ereções após a vasectomia. No entanto, o procedimento não altera nenhum dos órgãos ou processos necessários para a ereção. Os homens ainda terão ereções da mesma maneira.

Na vasectomia, apenas o caminho do espermatozoide é bloqueado. O corpo do homem ainda produz sêmen e ele continua ejaculando como antes. Mas o sêmen não deverá mais conter espermatozoides.

Saiba mais

Pode ocorrer algum grau de depressão ou ansiedade após a vasectomia, o que leva alguns homens a sentir que perderam parte de sua masculinidade. Sua função sexual permanece a mesma, sua parte “orgânica” não muda. Entretanto essas emoções negativas podem afetar as ereções.

Os homens que tenham dúvidas sobre o procedimento da vasectomia ou sobre as emoções em potencial que a acompanham devem sentir-se à vontade para discutir suas preocupações com o urologista.

Sobre o Dr. Homero Ribeiro

Dr. Homero Ribeiro é médico urologista com enfoque em andrologia e sexologia. Especializado em medicina sexual masculina, possui amplo conhecimento de tratamentos clínicos e técnicas cirúrgicas reconhecidas internacionalmente em medicina sexual.

É coordenador do ambulatório de infertilidade e disfunção sexual masculina do Hospital Universitário de Brasília (HUB/UNB), membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) e da Sociedade Internacional de Medicina Sexual (ISSM).

Post anterior
DHEA: o hormônio da juventude e ereção 
Próximo post
6 motivos para todo homem com doença de Peyronie fazer a avaliação ultrassonográfica doppler do pênis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
WhatsApp WhatsApp